“Para chegar a Deus primeiro tem que aprender a ser humano”

Por Simona Cella, Setembro de 2019: Dedicados aos “garotos/as” do curso no Brasil.

O título não é meu. A frase pertenceà “Ábrete Corazòn”, um canto xamânico escrito por Rosa Giove, curandeira da Amazônia. Eu o escrevi por uma razão muito simples:

As 5LB explicam que uma dor, física ou emocional, é o efeito de um programa ancestral de sobrevivência. O corpo e a emoção se ativam em automático quando acontece algo de inesperado, que a nossa mente não tem o tempo de elaborar.

Depois, no decorrer do tempo, por trilho ou por uma recaída, acontece a mesma coisa quando somos solicitados a partir de eventos que, por similitude, chamam de volta aquela mesma resposta automática.

É o corpo respondendo porque eu “não estou”. Sou um sonâmbulo, não estou presente em mim mesmo e não posso lidar de forma sensata aos eventos da vida.

Neste estado “de consciência”, como posso colher aquilo que me faz sentir bem, porque estou em sintonia com aquilo que quero para mim, e me afastar daquilo que me faz sofrer?

Quando me sinto mal a coisa mais sensata que posso fazer é perguntar para mim: “Mas quando aconteceu aquilo que estava acontecendo… aonde eu estava?”.

As 5LB te trazem de volta para você.

Estar mal é o efeito inevitável de quando “fecho” meu coração na ilusão de não perceber a dor.

Congelado, não sinto aquilo que experimento, e nem sinto o mundo e aquela dor que tenho a ilusão de ter cancelado, na realidade me cancela, afastando-me da vida.

Como um robô, passo o comando a bolhas de memória perceptivas que me conduzem a repetir estados e comportamentos disfuncionais… sempre os mesmos!

Estou falando de circuitos neuronais, sinapses, que chamo bolhas, para lembrar quanto na realidade somos efêmeros, como de fato as bolhas de sabão…

Como se estoura uma bolha de sabão?

Simples! Não vou fugir dela… Eu a toco e ela explode, desaparece, denunciando sua irrealidade.

A escolha sobre quais pensamentos focar é somente minha, mas para escolher preciso lembrar quem eu sou, de contatar meu coração e sentir-me, sentir o mundo, desengatado de qualquer automatismo robótico.

“Abra-se coração”, derreta o gelo na qual congelou minhas dores e meus prazeres, estou com vontade de me expressar como Ser Humano…

Me faça sentir que quem está à minha frente é somente outro Ser Humano, ele também ferido e com o coração congelado. Re/conhecemos-nos.

Abrimos nosso coração e escolhemos ser Seres Humanos.

Aquilo que levo em meus curso, assim como na vida, é um estímulo para se encontrar consigo mesmo e conectar-se com aquilo que somos realmente, fora de toda máscara, fora de cada comportamento forçado, deixando cair cada figurino de cena, sabendo que eu sou outra coisa… Eu sou, ponto!

Sou um espírito encarnado condensado em um corpo

Que me permite interagir com esta dimensão.

Sou um Ser Humano que compartilha a beleza deste planeta

Com outros Seres Humanos.

Não exige sofrimento, longos percursos, penitência. Não me pede ser diferente daquilo que eu sou, pelo contrário, me pergunta para lembrar quem eu sou, compreender e escolher os mapas mais funcionais para viver como gosto.

TAMBÉM O BRASIL CONFIRMA: É POSSÍVEL FAZER!

O curso no Brasil foi mais uma confirmação… Se pode fazer, pode-se mudar voltando a ser nós mesmos, sem lutar nem fatigar, através da brincadeira e a experiência. Simplesmente acontece e se torna evidente… em somente 4 dias.

Um grupo é o encontro de pessoas iguais a mim, como você, machucadas, Com as próprias complexas histórias pessoais que levamos conosco Como empoeiradas e pesadas cobertas. Não dão calor, nos sufocam.

Para todos o processo é o mesmo: uma dificuldade inicial até para reconhecer qual é a verdadeira dor, o temor em compartilhar, expor as próprias emoções. Melhor seria dizer temor de ser expor por medo de ser julgado e portanto excluído. Não é uma emoção de pouca importância: um ser vivo excluído da sua manada, morre.

Em seguida, experimentando como se faz, se abre a disponibilidade e um se torna sustento para o outro. Ninguém é mais sujeito à juízo e a alma do grupo surge. Nenhum segredo tem mais a necessidade de ficar assim como é e, a partir daquele momento, nasce a riqueza, as lágrimas deixam espaço para a surpresa, o sorriso, a auto ironia, e se expressam talentos.

Somos todos iguais perante nossas dificuldades e únicos em nossos recursos. O mundo precisa de todos, ninguém está excluído!

Quando isto acontece, acontecem os milagres.A conexão com aquilo que eu sou, traz a intuição daquilo que preciso.

A mensagem que o corpo me envia – que ainda insistimos em chamar de sintoma, como se estivéssemos realmente doentes – se torna um aliado tangível, que me conduz pela mão para elaborar os suspensos com quem eu pensava que fosse a causa de todos meus males. E o outro, a maioria das vezes, é alguém que eu amo muito, realmente muito.

A partir deste novo estado, começamos a nos identificar como Seres Humanos… É um estado que reconhecemos e abraçamos em um instante porque tivemos uma imensa saudade, nos comove e no coração sentimos expansão…

É este o estado que movimenta mudanças, porque não tem mais nenhum inimigo para combater, nada a defender.

De Ser Humano para Ser Humano… posso com/prender meus e seus limites. Acolhendo posso superá-los e me ocupar finalmente do meu presente…

Agora tenho o espaço para fazê-lo!

Nenhuma dificuldade em deixar ir feridas do passado, porque sinto que de outra forma perderia mais tempo, isso é vida. Nenhum esforço, porque não estou fugindo da dor, simplesmente me afasto porque ficar ainda aí, virando as costas para a vida, me aborrece…

Eu tenho algo muito mais interessante para dedicar minhas energias: viver, brincar, expressar, projetar, descansar, compreender, conectar-me com o mundo! E em tudo isso me sinto sustentado. De outros Seres Humanos que estão cumprindo o mesmo milagre.

Não, não é difícil… Ser, ponto!

OBRIGADO ANDRÉ, RODRIGO, VINICIUS, CLAUDIO E TODA A TURMA!

Cada vez, em cada curso, levo pra casa comigo algo de precioso…Nesta última experiência, me segue no voo também algo de muito, muito íntimo. O Brasil me surpreendeu, fazendo-me sentir em casa.

A energia que encontrei me falou de atenção e cura, respeito e brincadeira, curiosidade, humor e partilha: me parecia como se estivesse imersa em um grupo de amigos de longa data dos quais eu também fazia parte.

… Honrada!

Pessoal… grata pelos dias, pela confiança de vocês em compartilhar, grata pelas noites, os jantares e as danças, pela atenção especial que vocês me deram como presente. Com vocês eu senti de compartilhar uma experiência preciosa… de Humano para Humano.

“PARA CHEGAR A DEUS PRIMEIRO TEM QUE APRENDER A SER HUMANO”

Para mim significa que para lembrar quem somos – espíritos encarnados – temos que antes reconhecer quem somos nesta dimensão – seres encarnados, portanto humanos – que não nasceram para se tornar espirituais (essa é a premissa) e nem para sofrer (aquela é uma bolha de memória) e nem para nos fazer guerra (hipnose pilotada).

Enquanto espíritos nos encarnamos para viver e gozar desta dimensão, compartilhar nossos talentos na harmonia e na brincadeira, conectar-se totalmente com a natureza que nos rodeia, que tem muito, mas muito a transmitir-nos, a ensinar-nos, a compartilhar.

A rede de Seres Humanos se expande, entrelaçando braços de etnias diferentes. Itália, México, Brasil, Argentina, Espanha, Equador… o mundo inteiro começa a brilhar com sua própria luz!

Brasil… obrigado para fazer parte desta rede: a vida, mesmo com todas as problemáticas, volta a se tornar um encantamento!

Grata por ser vida, grata por ser um Ser Humano. Em conexão com todos vocês.

OBS. POSSIBILIDADE A. Você se espelha neste artigo? Bem-vindo à rede!

       POSSIBILIDADE B. Este artigo te incomoda, te causa raiva, sente vontade…

Vontade de fugir…?  Bem!

Aquilo que você chama de raiva, olhando “para o outro lado da moeda”, você pode descobrir que na realidade é saudade…

Saudade daquilo que é o seu estado natural: Ser Humano!

Quando quiser, você é o bem-vindo à rede!

Sim.